Dallin H. Oaks/É errado criticar os líderes da Igreja, mesmo que a crítica é verdadeira

Revisão em 18h49min de 29 de junho de 2017 por FairMormonBot (Discussão | contribs) (Robô: Substituição de texto automática (-{{etiqueta conclusão}} +))
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Índice

Elder Oaks Fala Sobre Críticas à Liderança da Igreja



Alega-se que Élder Dallin H. Oaks teria feito o seguinte comentário num Serão da Associação de Estudantes SUD no Tabernáculo de Salt Lake em 04 de maio de 1986:

"É errado criticar os líderes da Igreja, mesmo que a crítica seja verdadeira."

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias responde a estas questões (Inglês)

Dallin H. Oaks, "Criticism," Ensign, (February 1987)


Esta é uma versão editada do discurso proferido no Serão da Associação de Estudantes SUD no Tabernáculo de Salt Lake, em 4 de Maio de 1986.


.....
A reflexão crítica é a forma pela qual usamos a verdade. Quando tratou deste mesmo assunto em sua carta aos Romanos, Paulo disse: " Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu (Rom. 14:15.) Um cristão que tem consideração pelos outros toma cuidado em como usa a verdade. Tais cuidados não denigrem a verdade; mas a enobrecem.
A verdade certamente existe como algo absoluto, mas a maneira como usamos a verdade deve ser disciplinada por outros valores. Por exemplo, é errado fazer afirmações de fatos sem más intenções, mesmo que as afirmações sejam verdadeiras. É errado ameaçar revelar fatos embaraçosos sobre alguém para receber dinheiro, mesmo se os fatos forem verdadeiros. Isso é crime de chantagem. Médicos, advogados e outros profissionais são proibidos de revelar fatos que receberam por confidência, mesmo que sejam verdadeiros.

Assim como o princípio da justiça deve ser constrangido pelo princípio da misericórdia (ver Alma 42), o uso da verdade deve ser disciplinado pelo princípio do amor. Como Paulo instruiu os efésios, que "cresçamos em" Cristo "seguindo a verdade em amor." (Veja Ef. 4:15.)
(Clique aqui para obter o artigo completo (Inglês))



Esta citação foi tirada do contexto por críticos da Igreja para sugerir que se deve aceitar qualquer coisa que um líder da Igreja diz como verdade, mesmo que não seja.

O Élder Oaks responde a esta alegação numa entrevista com Helen Whitney para um artigo da PBS intitulado "Os Mórmons". off-site Na seguinte transcrição "HW" é "Helen Whitney" e "DHO" é "Dallin H. Oaks":

HW: Você usou uma frase interessante: "Nem tudo o que é verdade é útil." Você poderia explicar isso como alguém que é um estudioso e tenta incentivar a pesquisa profunda?

DHO - Eu falei sobre isso no discurso "Lendo a História da Igreja" - que foi o título do discurso. E no decorrer dele eu disse muitas coisas sobre ser cético numa leitura, à procura de tendências e contexto e várias outras coisas dentro dessa perspectiva. Mas no discurso eu disse duas coisas e os jornais e todos os que se referem ao discurso citam apenas essas duas coisas: uma é o que você citou, "Nem tudo o que é verdade é útil", e isto [significava] "era útil dizer ou publicar." E quando se diz aos jornais (mídia em geral) [que] eles não podem publicar alguma coisa, eles caem em cima pra te detonar! [Risos.]

Eu também disse outra coisa que tem agitado algumas pessoas: que é errado criticar os líderes da Igreja, mesmo a crítica sendo verdadeira, porque isto diminuiria sua eficácia como servos do Senhor. Pode-se trabalhar para corrigí-los por outros meios, mas não saia por aí falando sobre seus maus comportamentos quando eram jovens ou coisa parecida. Bem, é claro, isso soa como censura religiosa também.

Mas nem tudo o que é verdade é útil. Eu sou um advogado, e eu ouço algo de um cliente. É verdade, mas serei um profissional disciplinado e se eu compartilhar é porque isso seria parte do privilégio advogado-cliente. Há um privilégio entre marido e mulher, há um privilégio entre penitente-sacerdote, e assim por diante. Essa é uma ilustração do fato de que nem tudo o que é verdade é útil para ser compartilhado.

Em relação à história, eu estava falando naquele discurso para o benefício daqueles que escrevem a história. No curso da história escrita, eu disse que as pessoas devem ter cuidado no que eles publicam, porque nem tudo o que é verdade é útil. Veja a pessoa num contexto; não desvalorize sua eficácia numa área porque teria algum mau comportamento em outra área - especialmente sobre sua juventude. Penso que esse é o espírito deste assunto. Não estou falando necessariamente apenas sobre escritos da história Mórmon; Estou falando de George Washington ou qualquer outro caso. Se ele teve um relacionamento com uma moça quando era adolescente, não preciso ler sobre isso quando estou tentando ler uma biografia do fundador da nossa nação.(Ver "Elder Oaks Interview Transcript from PBS Documentary" on mormonnewsroom.org)