Diferenças entre edições de "Mormonismo e Profetas/Revelação depois de Joseph Smith/Faça profetas modernos profetizar"

m (Robô: Substituição de texto automática (-{{Articles Footer(.*) +))
m (Robô: Substituição de texto automática (-{{etiqueta conclusão}} +))
 
Linha 17: Linha 17:
 
*Revelações costumavam ser impressas em periódicos da Igreja, como o “Times and Seasons” e o “Evening and Morning Star”. Por que as revelações não são mais publicadas continuamente?
 
*Revelações costumavam ser impressas em periódicos da Igreja, como o “Times and Seasons” e o “Evening and Morning Star”. Por que as revelações não são mais publicadas continuamente?
  
{{etiqueta conclusão}}
+
 
  
 
Profetas continuam a receber revelação nestes dias, para que possamos ser bem sucedidos nesta vida. Eles são como um bispo, mas para todo o mundo. Eles são, de fato, "homens de seu tempo." Como poderiam os profetas ser qualquer outra coisa ''senão'' "homens de seu tempo", uma vez que eles são um produto de seu próprio tempo e cultura? São homens que são capazes de cometer erros, mas Santos dos Últimos Dias acreditam que se seguirem o profeta moderno atual, eles serão abençoados. Os ensinamentos dos profetas são baseados nas escrituras, e quando Deus decide revelar nova doutrina, ele irá fazê-lo pelos seus profetas. Quando os profetas recebem revelação, isso não significa, necessariamente, que sempre vamos ouvir os profetas nos ensinar nova doutrina.
 
Profetas continuam a receber revelação nestes dias, para que possamos ser bem sucedidos nesta vida. Eles são como um bispo, mas para todo o mundo. Eles são, de fato, "homens de seu tempo." Como poderiam os profetas ser qualquer outra coisa ''senão'' "homens de seu tempo", uma vez que eles são um produto de seu próprio tempo e cultura? São homens que são capazes de cometer erros, mas Santos dos Últimos Dias acreditam que se seguirem o profeta moderno atual, eles serão abençoados. Os ensinamentos dos profetas são baseados nas escrituras, e quando Deus decide revelar nova doutrina, ele irá fazê-lo pelos seus profetas. Quando os profetas recebem revelação, isso não significa, necessariamente, que sempre vamos ouvir os profetas nos ensinar nova doutrina.

Edição atual desde as 18h54min de 29 de junho de 2017

Índice

Os profetas modernos realmente profetizam ou são eles apenas "homens de seu próprio tempo?"


Eu testifico que o Senhor vive, que Jesus é o Cristo. Isso eu sei. Eu sei que Ele vive. Sei que Ele dirige esta Igreja. Às vezes eu quisera que não houvesse autorização para dizer mais, dizer abertamente, mas essa é a nossa forma de dizê-lo - como uma criança da Primária diria, que Ele vive, e que nós sabemos.

- Boyd K. Packer, Discurso no Ricks College Docentes e Funcionários Jantar, 24 de agosto de 1988; citado no livro: Packer Packer: Mine Errand from the Lord
∗       ∗       ∗


  • Se cada presidente da Igreja é um profeta, vidente e revelador, por que tão poucas revelações após Joseph Smith foram adicionadas a Doutrina & Convênios?
  • Seriam os profetas simplesmente "homens de seu tempo", sem qualquer habilidade especial para guiar a Igreja?
  • Revelações costumavam ser impressas em periódicos da Igreja, como o “Times and Seasons” e o “Evening and Morning Star”. Por que as revelações não são mais publicadas continuamente?


Profetas continuam a receber revelação nestes dias, para que possamos ser bem sucedidos nesta vida. Eles são como um bispo, mas para todo o mundo. Eles são, de fato, "homens de seu tempo." Como poderiam os profetas ser qualquer outra coisa senão "homens de seu tempo", uma vez que eles são um produto de seu próprio tempo e cultura? São homens que são capazes de cometer erros, mas Santos dos Últimos Dias acreditam que se seguirem o profeta moderno atual, eles serão abençoados. Os ensinamentos dos profetas são baseados nas escrituras, e quando Deus decide revelar nova doutrina, ele irá fazê-lo pelos seus profetas. Quando os profetas recebem revelação, isso não significa, necessariamente, que sempre vamos ouvir os profetas nos ensinar nova doutrina.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias responde a estas questões (Inglês)

Neil L. Anderson, "A Prova da Vossa Fé," A Liahona, (Novembro de 2012)


Uns poucos questionam sua fé quando encontram uma declaração feita por um líder de igreja décadas atrás que parece incongruente com a nossa doutrina. Existe um importante princípio que rege a doutrina da Igreja. A doutrina é ensinada por todos os 15 membros da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze. Ela não está escondida em um ponto obscuro de uma conversa. Princípios verdadeiros são ensinados com frequência e por muitos. A nossa doutrina não é difícil de encontrar.

Os líderes da Igreja são homens honestos mas imperfeitos. Lembre-se das palavras de Moroni: "Não me condeneis, em virtude de minha imperfeição, nem a meu pai ...; mas dai graças a Deus por ele ter manifestado a vós nossas imperfeições, para que aprendais a ser mais sábios do que nós fomos "(Éter 12: 6)
(Clique aqui para obter o artigo completo (Inglês))


Perguntas e respostas detalhadas


Doutrina & Convênios contém revelações fundamentais que estabelecem doutrinas centrais, a organização da Igreja e do sacerdócio, e a forma das ordenanças. Profetas após Joseph Smith receberam e continuam a receber revelação, mas apenas em algumas circunstâncias têm estas revelações sido fundamentais o suficiente para exigir que fossem adicionadas ao cânone LDS.

Este padrão se reflete na Bíblia também. Moisés, o profeta fundador desta dispensação, produziu cinco livros da Bíblia, que foram a base da instrução religiosa para os próximos séculos. Os livros que se seguiram Moisés nos dois séculos seguintes foram em sua maioria relatos históricos (Josué, Juízes, Ruth), com revelações apenas ocasionais registrados pelos profetas posteriores.

O próprio Joseph parou de receber tantas revelações quando governo da igreja foi estabelecido. Neste ponto de sua vida, ele disse que o Senhor não deve ser requisitado para cada pequena coisa, especialmente se revelações sobre o mesmo assunto já tenham sido dadas ou informações "sobre as coisas cujo conhecimento os homens devem obter com toda a sinceridade diante de Deus por si mesmos." Após os 12 apóstolos serem organizados o número de revelações que Joseph recebeu diminuíram drasticamente. Por volta de 1835 Joseph parou de receber revelações como as pessoas se lembram dele ter feito, nove anos antes de seu martírio.[1]

A revelação continua na Igreja

Élder John A. Widtsoe explicou que ainda temos revelação na Igreja, mesmo que ela não esteja sendo adicionada à Doutrina & Convênios

Há ... necessidade de revelação contínua. No entanto, devemos entender que existem duas classes de revelação dada por Deus ao homem. A primeira trata da estrutura e conteúdo do plano de salvação. Uma vez dada, não precisa de ser dada novamente. Adão a recebeu. *** Cristo deu a mesma revelação ao homem na sua dispensação. O mesmo aconteceu com Joseph Smith em sua dispensação. A fundação, ou plataforma, uma vez dada não precisa ser dada novamente a menos que os homens se esqueçam da verdade.
Depois, há revelações que se encaixam com as mudanças em nossas vidas, de acordo com nossas novas necessidades, nos ajudando a superar condições imprevistas – são revelações para nossa orientação diária.
Este grande país, os Estados Unidos da América, encontrou-se em uma grande depressão. Nós temos o Evangelho. O que o Senhor faz? Ele falou ao seu Profeta, e nós temos o que é conhecido como o Programa de Bem-Estar. É a aplicação dos princípios eternos do Evangelho para as necessidades dos dias atuais. É como revelação. Nós temos esse tipo de revelação de forma contínua.
Então, quando as pessoas dizem: "Devemos ter a revelação agora, como nos dias de Joseph," devemos responder: "Abra seus olhos; temos revelação todos os dias, conforme necessitamos no dia a dia."
Revelações foram dadas a Joseph Smith, Brigham Young, John Taylor, Wilford Woodruff, Lorenzo Snow, Joseph F. Smith e Presidente Heber J. Grant. Cada um deles teve a revelação pela qual a Igreja foi guiada.[2]

Século 19

Brigham Young

Eu tenho me lisonjeado, se eu sou tão fiel quanto eu sei ser, para com meu Deus, para com meus irmãos, em todos os meus convênios e fiel no cumprimento de meu dever, quando eu ter vivido tanto quanto Moisés quando o Senhor apareceu-lhe, então talvez eu possa manter comunhão com o Senhor, como Moisés. Eu não estou agora nessa posição, embora eu sei muito mais do que há vinte, dez ou cinco anos atrás. Contudo, eu já vivi até o estado de perfeição em que posso comungar pessoalmente com o Pai e o Filho conforme minha vontade e prazer? Não, embora eu me conserve pronto para que ele pode me acione à sua vontade e prazer. Se eu me mantiver fiel até que eu tenha 80 anos de idade, talvez o Senhor venha aparecer para mim e pessoalmente guiar-me na gestão da sua Igreja e povo. Um pouco mais de 20 anos e, se eu for fiel, talvez eu obtenha esse favor de meu Pai e Deus.
Eu não obteria esse privilégio de uma vez ou em um momento. É verdade, Joseph Smith em sua juventude tinha revelações de Deus. Ele viu e compreendeu por ele mesmo. Você está familiarizado com a sua vida? Você pode ler a sua história. Eu me familiarizei com ele durante muitos anos. Ele tinha visões celestiais; anjos ministravam a ele. A visão de sua mente se abriu para ver e entender as coisas celestiais. Ele revelou a vontade do Senhor para o povo, não obstante, poucos realmente familiarizaram-se com o irmão Joseph. Ele tinha todas as fraquezas que um homem pode ter quando a visão não estava sobre ele, quando foi entregue a si mesmo. Ele era constituído como os outros homens, e teria exigido anos e anos a mais na carne para tornar-se um Moisés em todas as coisas. Pelo período de tempo em que ele viveu, ele era um homem tão bom como nenhum outro que jamais vivera na carne, com exceção de Jesus. Foi ordenou que um homem tem de viver e ganhar, pela sua experiência, o conhecimento e sabedoria, e 0 grau de estabilidade em seu caráter que irá apresentá-lo favoravelmente às hostes celestiais em todos os momentos e em todas as circunstâncias. Vamos, então, resolver e agir de acordo com o princípio da melhoria constante.[3]

Wilford Woodruff

Os Apóstolos, em seus labores, tiveram de operar no mesmo princípio que os santos de tanto dos dias antigos como nos últimos dias tiveram que operar, ou seja o princípio da fé. Joseph Smith teve que trabalhar pela fé. É verdade que ele tinha um conhecimento de muitas coisas, como os santos de antigamente tinham, mas em muitas coisas ele teve de exercer a fé. . . Quando os membros do Acampamento de Sião foram chamados, muitos de nós ainda não havíamos visto o rosto dos demais; éramos estranhos uns aos outros e muitos nunca tinham visto o profeta. Tínhamos sido dispersos, como o milho passado na peneira, por todo o país. Éramos jovens, e fomos chamados naqueles dias iniciais para subir e redimir Sião, e o que tínhamos que fazer nós tínhamos que fazer pela fé. Nos reunidos a partir dos vários Estados em Kirtland e fomos defender Sião, em cumprimento ao mandamento de Deus para nós. Deus aceitou nossas obras como Ele fez com as obras de Abraão. Realizamos muita coisa, embora apóstatas e descrentes muitas vezes questionam: "O que vocês fizeram?" Ganhamos uma experiência que jamais poderíamos ter ganho de qualquer outra forma. Tivemos o privilégio de contemplar a face do profeta, e tivemos o privilégio de viajar milhares de quilômetros com ele, e ver as obras do Espírito de Deus com ele, e as revelações de Jesus Cristo, para ele e para o cumprimento das revelações. E ele reuniu cerca de duas centenas de Élderes de todo o país naqueles dias primevos e enviou-nos a transmitir ao mundo e pregar o Evangelho de Jesus Cristo. Se eu não tivesse seguido com o Acampamento de Sião eu não estaria aqui hoje, e eu presumo que esse teria sido o caso de muitos outros neste território. Ao ir lá, foram empurrados para a vinha a pregar o Evangelho, e que o Senhor aceitou nosso trabalho. E em todos os nossos trabalhos e perseguições, com vida, muitas vezes em jogo, tivemos de trabalhar e viver pela fé.[4]

Heber C. Kimball

Eu sei isso. Eu o sei que por revelação pelo Espírito de Deus, pois desta forma os meu Pai Celestial comunica-se comigo, e faz-me saber a sua mente e vontade. Eu nunca o vi em pessoa, mas quando vejo meus irmãos eu vejo a sua imagem, e eu descubro os atributos de Deus neles.[5]

Orson Pratt

Tenho pensado que a razão por que não tenhamos desfrutado deste dom mais plenamente é porque não temos procurado por eles tão diligentemente quanto deveríamos. Eu falo como um deles, eu não procurei tão diligentemente quanto eu poderia ter feito. Mais de quarenta anos se passaram desde que essas promessas foram feitas. Fui abençoado com algumas revelações e profecias, e com sonhos de coisas que têm vindo a passar; mas quanto a ver as coisas como um vidente, e ver coisas celestiais em visão aberta, eu não atingi a estas coisas. E de quem é a culpa por isso? Não é do Senhor; Não é do irmão Joseph, eles não são os culpados. E assim é com as promessas feitas a você em suas confirmações e investiduras, e pelos patriarcas em suas bênçãos patriarcais; não vivemos à altura de nossos privilégios como santos de Deus e Elderes de Israel; pois, embora nós recebamos muitas bênçãos que são prometidas a nós, nós não as recebemos em sua plenitude, porque não buscamos por elas de forma diligente e fiel como deveríamos. [6]
Onde está um servo de Deus em toda a Igreja dos Santos dos Últimos Dias, que tenha desfrutado dos mesmos privilégios que muitos dos primeiros servos de Deus desfrutaram 1.800 anos atrás no continente oriental? Não há praticamente nenhum. Já vimos a Jesus face a face? Já conversamos com ele, como Pedro, Tiago e João, e os outros dos Doze faziam naquele dia e idade do mundo? Não, nós não temos. Pode ter havido algumas poucas exceções. Nós alcançamos mesmo as bênçãos do Sacerdócio menor, para não dizer nada sobre as bênçãos mais elevadas do sacerdócio maior? Quais são as bênçãos prometidas para o Sacerdócio menor? Eles não são apenas de manter a autoridade e administrar em nome do Senhor nas coisas temporais, e administrar certas ordenanças exteriores; mas há privilégios, que o Sacerdócio menor possui, muito superiores a essas administrações temporais. Eles deveriam ter o privilégio de conversar com os anjos. Alguma vez você refletiu ou percebeu quão grande privilégio que é isso?
Não é um grande privilégio ir diante do Senhor e receber o ministério dos anjos, e as instruções de suas bocas em relação ao que deve ser falado para as pessoas? Mas muito poucos do Sacerdócio menor que assentam-se sob o som da minha voz, ou que se encontram sobre toda a terra, alcançaram a este privilégio. Se o Sacerdócio menor não tem atingido isso, vamos inquirir a respeito daqueles que possuem a autoridade ainda maior, os Elderes, os Setenta, Sumos Sacerdotes, os Doze, os vários Bispos, e as várias autoridades e presidentes dos mais diferentes ramos e assentamentos. Será que eles já atingiram as bênçãos do Sacerdócio menor? Não. Com a exceção de alguns poucos indivíduos que podem ter alcançado tais privilégios, que podem ter tido as visões da eternidade aberta a eles, e pode ter conversado com anjos e recebido instruções no que diz respeito a seus chamados e deveres, e o que eles devem dizer para as pessoas; mas, com exceção desses poucos indivíduos, os outros estão longe, nas terras ao redor. E quando chegamos a falar dos privilégios mais altos, além de receber a administração de anjos, dificilmente se pode encontrar um homem entre todos os últimos dias Unido que os alcançou. Eu não alcancei. Falo isso para minha vergonha, e eu falo isso, como o irmão Gates falou de sim mesmo, com vergonha, por não alcançar os privilégios que pertencem ao sacerdócio maior. Quais são esses privilégios? Eles são claramente previstos na palavra de Deus. Aqueles que possuem esse sacerdócio têm o privilégio não só de receber o ministério dos anjos, mas de ter os céus abertos a eles, e de contemplar a face de Deus. . . Quantos de nós têm saído e recebido a nossa missão do Senhor pela voz do Espírito de revelação, antes de nos aventurar perante as pessoas para ensinar as coisas do reino de Deus? Embora muitas vezes tenho orado e procurado sincera e humildemente por auxílio para pregar ao povo, e dizer algo para beneficiá-los. Porém eu não tenho sido, por minha firmeza, diligência e fé, capaz de obter essas revelações e visões que pertencem ao sumo sacerdócio e ao Apostolado, para que eu possa saber o que pregar ao povo, na medida dos nossos privilégios para a sua edificação. No entanto, eu sei que o Senhor tem me abençoado e a meus irmãos, e nos deu uma porção de seu Espírito; e os nossos corações foram guiados, como eu acredito, pelo espírito de sabedoria e conselho; e as coisas do reino de Deus, foram levadas ao nosso conhecimento no exato momento requerido; e temos sido capazes de falar com eles, mas não naquele poder e demonstração que pertence ao sacerdócio do Deus vivo.[7]

Orson F. Whitney

"Uma noite sonhei ... que eu estava no Jardim do Guetsêmani, como testemunha da agonia do Salvador. ... Eu estava atrás de uma árvore em primeiro plano. ... Jesus, com Pedro, Tiago e João, veio através de um pequeno portão à minha direita. Deixando os três Apóstolos ali, depois de dizer-lhes para ajoelharem-se e orar, Ele passou para o outro lado, onde também se ajoelhou e orou ...: 'Oh meu Pai, se é possível, passa este cálice de mim; no entanto, não seja como eu quero, mas como tu queres."
"Ao orar, lágrimas escorriam pelo seu rosto, que estava [voltado] para mim. Fiquei tão comovido com a cena que eu chorei também, por pura solidariedade com a Sua grande tristeza. Todo o meu coração estava com Ele. Eu o amava com toda a minha alma e desejava estar com Ele, e não ansiava por mais nada.
"Então, ele se levantou e caminhou até onde esses Apóstolos estavam ajoelhados – em sono profundo! Ele balançou os gentilmente, acordou-os, e em tom de terna reprovação, incólume à menor demonstração de ira ou repreensão, perguntou-lhes se eles não podiam vigiar com Ele uma hora. ...
“"Voltando ao Seu lugar, Ele orou novamente e, em seguida, retornou e encontrou-os novamente dormindo. Novamente Ele acordou-os, os advertiu, e voltou e orou como antes. Três vezes isso aconteceu, até que eu estava perfeitamente familiarizado com a aparência de sua face, forma e movimentos. Ele era de nobre estatura e de fisionomia majestosa ... o próprio Deus, que Ele era e é, ainda que manso e humilde como uma criancinha.
"De repente, a circunstância pareceu mudar. ... Em vez de antes, foi após a crucificação, e o Salvador, com esses três Apóstolos, agora estavam juntos em um grupo à minha esquerda. Eles estavam prestes a partir e ascender ao céu. Eu não pude poderia suportar por mais tempo. Corri de trás da árvore, caí a seus pés, abracei-o em torno dos joelhos, e pediu a Ele para me levar com ele.
"Jamais esquecerei a maneira bondosa e gentil na qual Ele inclinou-se, levantou-me e me abraçou. Era tão vívido, tão real que eu senti o próprio calor do seu peito contra o qual eu me apoiava. Então Ele disse: "Não, meu filho; eles já terminaram o seu trabalho, e podem vir comigo; mas você deve ficar e terminar o seu. "Ainda assim, eu me agarrei a ele. Olhando para o seu rosto, pois Ele era mais alto do que eu, pedi-Lhe fervorosamente: 'Bem, prometa-me que eu irei a Ti por final. "Ele sorriu com doçura e ternura e respondeu:" Isso vai depender inteiramente de você mesmo. "Eu acordei com um soluço na garganta, e era manhã".[8]

George Q. Cannon

"O Élder George Q. Cannon, que servia na presidência da Igreja numa ocasião, disse o seguinte: 'Eu sei que Deus vive. Eu sei que Jesus vive, porque eu o vi".. "- Spencer W. Kimball, A Liahona (maio de 1974): 119; George Q. Cannon palestra dada em 06 de outubro de 1896, publicado em Deseret News Semi-Weekly (27 de Outubro 1896), Deseret News Weekly (31 de Outubro 1896), e mais tarde em Gospel Truth (1 vol., IV, 1ª edição, 1957, compilado por Jerreld L. Newquist).

Lorenzo Snow

Uma experiência do meu pai

Por LeRoi C. Snow

Por algum tempo, a saúde do Presidente Woodruff debilitava-se. Quase todas as noites Presidente Lorenzo Snow ia visitá-lo em sua casa. Nesta noite em particular os médicos disseram que o presidente Woodruff não iria viver muito mais tempo, que ficava cada vez mais fraco, a cada dia. Presidente Snow estava muito preocupado. Não podemos compreender hoje a condição financeira terrível em que a Igreja estava então, devendo milhões de dólares e não sendo capaz de pagar nem os juros de sua dívida. Meu pai foi para sua sala no Templo de Salt Lake, vestido com suas roupas do Sacerdócio, ajoelhou-se diante do altar sagrado no Santo dos Santos na Casa do Senhor e lá suplicou ao Senhor que poupasse a vida do Presidente Woodruff, que o Presidente Woodruff pudesse sobreviver a ele e que a grande responsabilidade de liderança da Igreja não iria recaísse sobre seus ombros. No entanto, ele prometeu ao Senhor que ele iria realizar devotadamente qualquer dever exigido para suas mãos. Nesta época, ele estava em seu octogésimo sexto ano. Logo após isso o Presidente Woodruff foi levado para a Califórnia, onde ele morreu sexta-feira de manhã às 06:40 horas do dia 2 de setembro de 1898. Presidente George Q. Cannon imediatamente telegrafou as informações para o escritório do presidente em Salt Lake City. A Notícia foi encaminhada ao Presidente Snow, que estava em Brigham City. O telegrama foi entregue a ele na rua, em Brigham. Ele leu-o ao presidente Rudger Clawson, então Presidente da Estaca Boxelder, que estava com ele, foi até o escritório do telégrafo e respondeu que partiria de trem a cerca de 5:30 naquela tarde. Ele chegou a Salt Lake City por volta das 7:15, dirigiu-se ao gabinete do Presidente, deu algumas instruções e, em seguida, foi para o quarto privado no Templo de Salt Lake.

Presidente Snow vestiu suas sagradas vestes templárias, voltou-se novamente para o mesmo altar sagrado, ofereceu-se os sinais do Sacerdócio e abriu seu coração para o Senhor. Ele lembrou ao Senhor como ele pleiteou para que a vida do Presidente Woodruff fosse poupada, que os dias do Presidente Woodruff fossem prolongados para além de seus próprios; para que ele nunca tivesse que ser chamado a carregar os pesados encargos e responsabilidades da Igreja. "No entanto", disse ele, "seja a Tua vontade. Eu não busquei essa responsabilidade, mas se for da Tua vontade, eu agora me apresento diante de Ti para Tua orientação e instrução. Eu peço que Tu me mostres o que tu desejas que eu faça. "

Depois de terminar sua oração, ele esperava uma resposta, alguma manifestação especial do Senhor. Então ele esperou, esperou--e esperou. Não houve resposta, sem voz, sem visitação, nenhuma manifestação. Ele deixou o altar e o quarto em uma grande desilusão. Passando pela sala Celestial e saindo para o grande corredor, uma manifestação gloriosa foi dada ao Presidente Snow, que eu relato nas palavras de sua neta, Allie Young Pond, atualmente esposa de Elder Noah S. Pond, recentemente presidente da Missão dos Estados do Norte:

"Uma noite, enquanto eu estava visitando o vovô Snow em sua sala no Templo de Salt Lake, fiquei até os porteiros irem embora e os vigias noturnos ainda não terem entrado. Então vovô disse que iria me levar para a entrada frontal principal e deixou eu ir naquela direção. Ele pegou o seu molho de chaves do seu armário. Depois que saiu do quarto e enquanto ainda estávamos no grande corredor que leva à sala celestial, eu andava vários passos à frente do vovô quando ele me parou e disse: "Espere um momento, Allie, eu quero te dizer uma coisa. Foi aqui que o Senhor Jesus Cristo apareceu para mim na época da morte do Presidente Woodruff. Ele me instruiu a prosseguir em frente e reorganizar a Primeira Presidência da Igreja de uma só vez e não esperar como havia sido feito após a morte dos presidentes anteriores, e que eu deveria suceder o Presidente Woodruff."

"Então vovô veio um passo mais perto e estendeu sua mão esquerda e disse:" Ele estava bem aqui, cerca de 90 cm acima do chão. Parecia que ele pisava numa placa de ouro maciço.

"Vovô me disse que personagem glorioso o Salvador é, e descreveu suas mãos, pés, rosto e belas vestes brancas, todos os quais eram de tal glória de brancura e brilho que ele mal podia contemplá-lo.

"Então ele deu mais um passo em minha direção, colocou a mão direita sobre a minha cabeça e disse:" Agora, neta, eu quero que você lembre-se de que este é o testemunho de seu avô, que ele disse que com seus próprios lábios que ele realmente viu o Salvador, aqui no Templo, e conversou com ele face a face.'"

Durante a conferência de junho em 1919 na reunião dos oficiais da Associação d Melhoramentos Mútuos (AMM) no Saguão da Assembleia, relatei o testemunho acima. O Presidente Heber J. Grant imediatamente se levantou e disse:

Em confirmação do testemunho dado pelo irmão LeRoi C. Snow citando a neta de Lorenzo Snow, quero chamar a atenção para o fato de que vários anos se passaram após a morte do Profeta Joseph antes do Presidente Young ser apoiado como presidente da Igreja; após a morte do Presidente Young, vários anos se passaram novamente antes de o presidente Taylor ser apoiado, e novamente quando ele morreu alguns anos antes se passaram até o Presidente Woodruff ser apoiado.

Após o funeral do Presidente Wilford Woodruff, os apóstolos reuniram-se no escritório da Primeira Presidência e irmão Francis M. Lyman disse: "Sinto-me inspirado, apesar de ser um dos membros mais jovens do quórum, a dizer que eu acredito que seria agradável aos olhos do Senhor, se a Primeira Presidência da Igreja foi reorganizada, aqui e agora. Se estou em erro sobre essa inspiração, o Presidente Snow e os membros seniores do conselho podem corrigir-me."

Presidente Snow disse que ele teria prazer em ouvir de todos os irmãos sobre esta questão, e todos e cada um de nós expressaram-se como acreditando que seria agradável ao Senhor e que seria a coisa certa ter a Presidência organizou de imediato.

Quando terminamos, então, e só então, o irmão Snow nos disse que ele foi instruído pelo Senhor no templo, na noite após o presidente Woodruff morrer, para organizar a Presidência da Igreja imediatamente. Presidente Anthon H. Lund e eu somos os únicos homens que ainda vivem e que estavam presentes nessa reunião.

Que o Senhor nos abençoe e nos guie pelo seu espírito continuamente e que o testemunho que possuímos da divindade da obra esteja sempre conosco e nossa fidelidade seja uma inspiração para levar outros a um conhecimento do evangelho, é a minha oração, e peço-o em nome de Jesus Cristo, Amém.

Poucos dias depois da conferência de AMM, em uma entrevista com o presidente Lund em seu escritório, ele recontou o incidente para mim como relatado pelo Presidente Grant sobre a reunião no escritório da Primeira Presidência, na terça-feira de manhã, 13 de setembro, 1898, em que Lorenzo Snow foi escolhido presidente da Igreja. Ele também disse que ele ouviu o pai contar diversas vezes de aparição do Salvador para ele depois de ter vestido com suas roupas do templo, apresentar-se diante do Senhor e oferecer os sinais do Sacerdócio.

Contei essa experiência na reunião sacramental da Ala XVIII. Após o a reunião, Elder Arthur Winter me disse que também tinha ouvido meu pai contar a aparição do Salvador com ele no templo instruindo-o não só para reorganizar a Primeira Presidência de uma só vez, mas também para selecionar os mesmos conselheiros que o presidente Woodrutt tinha, presidentes George Q . Cannon e Joseph F. Smith.[9]

Século XX

Hugh B. Brown relatou um evento que seu sobrinho, Harold B. Lee, registrou em seu diário e depois compartilhou:

"Ele [Elder Brown] disse que não era uma visão, mas o Senhor lhe apareceu, muito informal, como se eu estivesse sentado conversando com ele. O Senhor disse: 'Você teve alguns momentos difíceis em sua vida.' Tio Hugh respondeu: 'Sim, e sua vida foi mais difícil do que qualquer um de nós já teve. "Na conversa tio Hugh perguntou quando ele estaria terminado aqui, e o Senhor disse: 'Eu não sei e eu não iria dizer-lhe se eu soubesse. "Então Ele disse:' Permanece fiel até o fim, e tudo vai ficar bem."[10]

Henry B. Eyring

Eu sou grato que eu sei, com tanta certeza como os Apóstolos Pedro, Tiago e João, que Jesus é o Cristo, nosso Senhor ressuscitado, e que ele é o nosso advogado junto ao Pai. Eu sei que o Pai deu testemunho direto de Seu Filho Amado, introduzindo o Senhor ressuscitado ao menino Joseph Smith no Bosque Sagrado. Eu sei que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus, traduzido pelo Profeta Joseph através do poder de Deus. Eu sei que as chaves do Sacerdócio de Melquisedeque foram restauradas por aqueles que as receberam do Salvador e que o Presidente Gordon B. Hinckley é agora a única pessoa na Terra autorizada a dirigir o uso de todas essas chaves. Presto solene testemunho de que esta é a verdadeira Igreja de Jesus Cristo, na qual são oferecidas as ordenanças e os convênios, as quais, se aceitas e honradas, produzem paz nesta vida e asseguram-nos a vida eterna no mundo vindouro. Em nome de Jesus Cristo, amém.[11]

James E. Faust

É meu o conhecimento convicto de que Jesus é o nosso Salvador divino, Redentor, e filho de Deus, o Pai. Eu sei da sua realidade por meio de uma percepção tão sagrada que não posso proferi-la. Eu sei e testifico com a consciência absoluta de que Joseph Smith restaurou as chaves da plenitude dos tempos e que cada Presidente da Igreja tem mantido essas chaves, assim como o Presidente Gordon B. Hinckley hoje.[12]

David B. Haight

  • Elder Haight relatou uma longa visão concedida a ele durante uma doença grave em A Liahona (Novembro de 1989): 59-60.
  • Veja abaixo o Elder Haight sobre a revelação de 1978.

Harold B. Lee

Com toda a minha alma e convicção, e sabendo da gravidade e importância desse testemunho, eu lhes digo que eu sei que ele vive. Estou consciente de sua presença na maior parte do tempo quando eu mais precisei dele. Eu o reconheci pelos sussurros da noite, as impressões do dia, quando havia coisas pelas quais eu era responsável e em que eu poderia receber orientação. Então, eu lhes testifico, e lhes digo que ele está mais próximo dos líderes desta Igreja do que vocês têm qualquer ideia. Ouçam os líderes desta Igreja e sigam seus passos em justiça, se aprenderem não só pelo estudo, mas também pela fé, testemunho que presto com a maior humildade e sinceridade no nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.[13]
[Vou dizer-lhe de] uma experiência que tive quando cheguei ao Conselho dos Doze. Eu me perguntava o que se requer para ser uma testemunha especial do Senhor e Mestre. Quão assustador era agora eu ser nomeado como uma testemunha especial! Para que eu pudesse dizer, sem qualquer hesitação e com toda a convicção da minha alma que eu sabia que Ele vive, eu tinha que ter uma experiência. Quando a realidade da história de Sua vida, ministério, sua crucificação e ressurreição me fossem tão reais como se eu estivesse lá, é a isso que eu estava me referindo. Eu não tenho que peregrinar naqueles locais na Terra Santa para saber, porque era como se eu os tivesse visto antes.[14]
Deixe-me prestar meu próprio testemunho. Há alguns anos, dois missionários vieram a mim com o que lhes parecia ser uma questão muito difícil. Um jovem ministro rira deles quando eles lhe disseram que os apóstolos eram necessários hoje para que a verdadeira Igreja estivesse sobre a terra. Eles disseram que o ministro disse: "Você percebe que quando os Apóstolos se reuniram para escolher um para preencher a vaga aberta pela morte de Judas, eles disseram que tinha que ser aquele que conviveram com eles e tinha sido testemunha de todas as coisas pertencentes à missão e ressurreição do Senhor? Como você pode dizer que você tem Apóstolos, se essa é a medida de um Apóstolo?"
E assim estes jovens disse: "O que vamos responder?"
Eu disse-lhes: "Volte e pergunte ao seu amigo ministro duas questões. Em primeiro lugar, como é que o apóstolo Paulo ganhou o que era necessário para ser chamado apóstolo? Ele não conheceu o Senhor, não tinha conhecimento pessoal. Ele não tinha acompanhado os Apóstolos. Ele não tinha sido uma testemunha do ministério nem da ressurreição do Senhor. Como ele ganhou testemunho suficiente para ser um apóstolo? E sua segunda pergunta a ele é: Como é que ele sabe se todos os que são hoje Apóstolos não receberam do mesmo modo esse testemunho?
Dou testemunho de que aqueles que possuem o chamado apostólico pode, e fazer, sei da realidade da missão do Senhor.[15]
Presto meu testemunho a vocês nesta manhã. Há alguns testemunhos que não posso dar agora, talvez algum tempo depois. Muitas coisas são demasiado sagradas para compartilhar no momento. Recebi um testemunho do qual eu não posso ou não se atrevo a negar. Quando eu ver Jesus, eu não poderei confundir sua identidade. Eu sei que Ele vive![16]

Spencer W. Kimball

"Eu sei que Deus vive. Sei que Jesus Cristo vive", disse John Taylor, meu predecessor," pois eu o vi. "Presto este testemunho para vocês, irmãos, em nome de Jesus Cristo. Amém."[17]

Dallin H. Oaks

Por que nossos discursos na conferência geral e reuniões locais não relatam mais sobre os milagres que vimos? A maioria dos milagres que experimentamos não devem ser compartilhados. Consistente com os ensinamentos das escrituras, nós os mantemos sagrados e os compartilhamos apenas quando o Espírito nos leva a fazê-lo ... Nos testemunhos que prestamos e em nossos discursos públicos raramente falamos de nossas experiências mais milagrosos, e nós raramente dependemos de sinais de que o Evangelho é verdadeiro. Normalmente apenas afirmamos nosso testemunho da veracidade do evangelho restaurado e damos poucos detalhes sobre como o obtivemos. Por que isso? Sinais seguem os que creem. Buscar por um milagre para converter alguém é uma busca imprópria de sinais. Pela mesma razão, é geralmente inadequado recitar circunstâncias milagrosas para um público geral que inclui pessoas com diferentes níveis de maturidade espiritual. Para o público em geral, os milagres fortalecerão a fé alguns, mas serão um sinal inapropriado para os outros.[18]
Visões acontecem. Vozes são ouvidas de além do véu. Eu sei disso. Mas essas experiências são excepcionais. E aqueles que têm estas grandes e excepcionais experiências raramente falam delas publicamente porque são instruídos a não fazê-lo (ver D&C 63:64) e porque entendemos que os canais de revelação serão fechados se mostrarmos essas coisas diante do mundo.[19]

Boyd K. Packer

  • Chegaram, nestes últimos anos, uma sucessão de anúncios que mostram que nosso dia é um dia de intensa revelação, igualando, talvez, apenas nos dias do início, a 150 anos atrás, mas então, como agora, o mundo não acreditava. Dizem que os homens comuns não são inspirados; que não há profetas, não há apóstolos; que os anjos não ministram aos homens, não aos homens comuns. Essa dúvida e descrença não mudaram. Mas agora, como então, sua descrença não pode mudar a verdade. Nós não fazemos nenhuma reivindicação de sermos apóstolos do mundo, mas do Senhor Jesus Cristo. O teste não é se os homens vão acreditar, mas se o Senhor nos chamou – e quanto a isso não há nenhuma dúvida. Nós não falamos dessas entrevistas sagradas que qualificam os servos do Senhor a dar um testemunho especial Dele, pois fomos ordenados a não fazê-lo. Mas nós somos livres, de fato, somos obrigados, a suster esse testemunho especial ... Como todos os meus irmãos, eu também vim das pessoas comuns da Igreja. Eu sou o septuagésimo oitavo homem a ser aceito pela ordenação ao Quórum dos Doze Apóstolos nesta dispensação. Em comparação com os outros que foram chamados, não estou nem perto de ser seu igual, a não ser, talvez, na certeza do testemunho que compartilhamos. Sinto-me obrigado, neste aniversário de 150 anos da Igreja, a testificar a vocês que eu sei que o dia dos milagres não cessou. Eu sei que os anjos ministram entre os homens. Eu sou uma testemunha da verdade de que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, o Unigênito do Pai; que Ele tem um corpo de carne e ossos; que Ele conhece os que são Seus servos aqui e que Ele é conhecido deles. Sei que Ele dirige esta Igreja agora, como Ele estabeleceu outrora, através de um profeta de Deus. Em nome de Jesus Cristo.[20]
  • Sonhos e visões e visitações não são incomuns na Igreja e são uma parte de tudo o que o Senhor revelou nesta dispensação. Assim, um membro digno da Igreja pode ser o destinatário de uma maravilhosa experiência espiritual. Eu vim a saber que estas experiências são pessoais e devem ser mantidas privadas. Os beneficiários devem ponderá-las em seu coração e não falar levianamente sobre elas.[21]
  • Eu não aceitei [meu testemunho espiritual] como uma comissionamento ou um chamado. Foi um testemunho, uma confirmação, a testemunha. Desde aquele tempo até hoje, o meu desafio não foi com a obediência, nem com resolução ou diligência; tem sido com a restrição! O desafio tem sido a moderar-me e refrear a minha personalidade dinamarquesa impulsiva. Ele tem sido a de manter sagrado e manter privado o que cada um de nós tem de aprender por si próprio. Tal experiência é ao mesmo tempo uma luz para seguir e um fardo para carregar.[22]
  • Revelações continuam com a gente hoje. Os sussurros do Espírito, os sonhos, as visões, as visitações e o ministério de anjos todos estão com a gente agora. E a voz mansa e delicada do Espírito Santo "é uma lâmpada aos [nossos] pés, e luz para o [nosso] caminho." (Sl 119:.. 105) do que eu testifico, em nome de Jesus Cristo Amém..[23]
  • Todos os professores são, naturalmente, eles próprios estudantes. Enquanto como professores existem algumas questões difíceis que dificilmente podemos tentar responder, da mesma forma como os alunos existem algumas questões que não poderíamos nos perguntar com propriedade.
Uma pergunta deste tipo que me fazem ocasionalmente, geralmente por alguém que é curioso, é: "Você o viu?" Essa é uma pergunta que eu nunca perguntei a alguém. Eu não fiz essa pergunta aos meus irmãos no Conselho dos Doze, considerando que seria tão sagrado e pessoal que a pessoa teria que ter alguma inspiração especial, de fato alguma autorização até para perguntar isso.
Embora eu não tenha feito essa pergunta a outros, eu os ouvi respondê-la, mas não quando eles foram perguntados. Eu ouvi um dos meus irmãos declarar: "Eu sei que, por experiências agradas para se relatar, que Jesus é o Cristo". Eu ouvi outro testemunhar, "Eu sei que Deus vive, eu sei que o Senhor vive, e mais do que isso, eu conheço o Senhor". Repito: eles responderam a esta pergunta não quando eles foram convidados, mas sob o impulso do Espírito, em ocasiões sagradas, quando "o Espírito dá testemunho." (D&C 1:39.)
Há algumas coisas simplesmente sagrados demais para se discutir: não secretas, mas sagradas; não devem ser discutidas, mas devem ser abrigadas, protegidas e consideradas com a mais profunda reverência.[24]
  • Você já viu ele? Essa é uma pergunta que eu nunca perguntei a alguém. Eu não fiz essa pergunta aos meus irmãos no Conselho dos Doze, considerando que seria tão sagrado e pessoal que a pessoa teria que ter alguma inspiração especial, de fato alguma autorização até para perguntar isso ... eu vim a entender o que o profeta Alma quis dizer:
"É dado a muitos conhecer os mistérios de Deus; é-lhes porém absolutamente proibido divulga-los, a não ser a parte de sua palavra que ele que ele concede aos filhos dos homens, de acordo com a atenção e diligência que lhe dedicam.
"E, portanto, aquele que endurecer o coração receberá a parte menor da palavra; e o que não endurecer o coração, a ele será dada a parte maior da palavra, até que lhe seja dado conhecer a mistérios de Deus, até que os conheça na sua plenitude. " (Alma 12: 9-10.)(Alma 12:9-10.)
Há aqueles que ouvem testemunhos dados na Igreja, por aqueles em altos cargos e por membros das alas e ramos, todos usando as mesmas palavras: "Eu sei que Deus vive, e sei que Jesus é o Cristo," e chegam a se perguntar: "Por que não pode ser dito em palavras mais claras? Por que eles não são mais explícitos e mais descritivos. Não podem os Apóstolos dizer mais?"
Alguns buscam por um testemunho dado de alguma forma nova, dramática e diferente ... Para quem está honestamente buscando, o testemunho dado nestas frases simples é suficiente; pois é o Espírito que dá testemunho, não as palavras.[25]
  • "Eu quero que a nossa família saiba que eles ouviram vovô dar o seu testemunho. Eu sei que Jesus é o Cristo, que Ele vive, que o evangelho é verdadeiro, e que eu o reconhecerei quando o ver, e eu reconhecerei a sua voz quando a ouvir. Quero que vocês pequeninos lembrem-se de que vocês ouviram seu avô prestar um testemunho especial do Senhor Jesus Cristo."[26]

George F. Richards

O Senhor revelou aos homens por sonhos algo mais do que eu [o Presidente Kimball] jamais entendeu ou sentiu antes. Ouvi isso mais de uma vez em reuniões do quórum do Conselho dos Doze, quando George F. Richards era presidente. Ele era o pai venerável do irmão LeGrand Richards que acaba de falar a nós. Ele disse:
Eu acredito em sonhos, irmãos. O Senhor deu-me sonhos que para mim são tão reais e são tão de Deus como foi o sonho do rei Nabucodonosor, que foi o meio de salvar uma nação da fome, ou o sonho de Lehi, por cujo sonho levou sua colônia fora do país de origem através das grandes profundezas a esta terra prometida, ou quaisquer outros sonhos que podemos ler nas escrituras.
"Ele não está fora de questão para nós termos sonhos importantes", disse ele. "E então, mais de 40 anos atrás eu tive um sonho que estou certo ter sido do Senhor. Nesse sonho eu estava na presença do meu Salvador enquanto ele estava em pleno ar. Ele não falou nenhuma palavra para mim, mas o meu amor por ele era tão grande que eu não tenho palavras para explicar. Eu sei que nenhum homem mortal pode amar ao Senhor como aquele amor que eu experimentei pelo Salvador, a menos que Deus revele a ele. Eu teria permanecido em sua presença, mas não havia uma força afastando-me dele.
Como resultado desse sonho, eu tive a sensação de que não importa o que possa ser exigido das minhas mãos, o que o evangelho pudesse acarretar a mim, eu farei o que eu for ser ordenado a fazer ainda até o final de minha vida.
E assim, quando lemos nas escrituras que o Salvador disse a seus discípulos:" Na casa de meu Pai há muitas moradas; ... Eu vou preparar-vos um lugar... para que onde eu estiver, estejais vós também."(John 14: 2-3.) Eu acho que é onde eu quero estar.
"Se ao menos eu posso estar com meu Salvador e tiver o mesmo sentimento de amor que eu tive nesse sonho, ele vai ser o objetivo de minha existência, o desejo da minha vida."[27]

Marion G. Romney

[Em seu diário, Marion G. Romney escreveu:] Eu não sei exatamente como responder as pessoas quando elas fazem a pergunta: "Você já viu o Senhor?" Eu acho que a testemunha que eu tenho e o testemunho de que cada um de nós tem, e os detalhes de como ele veio, são demasiado sagrados para contar. Eu nunca disse a ninguém algumas das experiências que tive, nem mesmo à minha esposa. Eu sei que Deus vive. Eu não só sei que ele vive, mas eu o conheço.[28]

Revelação 1978

Muitas testemunhas descreveram a revelação de 1978 sobre o sacerdócio. Escreveu o então Historiador da Igreja SUD:

Como historiador procurei descobrir os detalhes registrá-los no meu diário privado. O relato a seguir é baseado em dezenas de entrevistas com pessoas que falaram com os oficiais da igreja após a revelação ter sido anunciada. Embora os membros dos Doze e da Primeira Presidência com quem eu procurava entrevistas sentiram que não deveriam elaborar sobre o que aconteceu, eu descobri detalhes dpelos membros da família e amigos a quem haviam sido feitos comentários. . . .
Os presentes disseram que, [o Presidente Kimball] ao começar a sua oração fervorosa, eles de repente perceberam que não era a oração de Kimball, mas o Senhor falando através dele. A revelação foi sendo declarada. Kimball percebeu que as palavras não eram dele, mas do Senhor. Durante aquela oração alguns dos Doze - pelo menos dois disseram isso publicamente - foram transportados a um ambiente celestial, viram uma presença divina e as figuras dos ex-presidentes da igreja (retratos dos quais estavam penduradas nas paredes ao redor deles ) sorrindo para indicar a sua aprovação e sanção. . . .
No final da manifestação celestial Kimball, chorando de alegria, confrontou os membros da igreja, muitos deles também chorando, e perguntou se eles apoiavam esta instrução celestial. Abraçando-se, todos assentiram vigorosamente e jubilosamente a sua sanção. Tinha havido uma revelação surpreendente e como um mandamento de Deus - uma experiência inefável.
Dois dos apóstolos presentes descreveram a experiência como um "dia de Pentecostes" semelhante à do Templo de Kirtland, em 6 de abril de 1836, data da sua dedicação. Eles viram um personagem celestial e ouviram música celestial. Para os membros com as roupas do templo, a reunião, incrível e sem comparação, foi o maior evento singular de suas vidas. Aqueles com quem eu conversei choraram enquanto falavam disso. Todos estavam certos de que tinham testemunhado uma revelação de Deus.[29]

Elder David B. Haight disse da mesma experiência:

Eu espero que um dia o nosso bisneto Mark e outros de nossa posteridade tenham experiências espirituais semelhantes e que eles sintam o poder espiritual e influência deste evangelho. Espero que Mark e outros tenham oportunidades, como eu tive ao estar no templo quando o Presidente Spencer W. Kimball recebeu a revelação sobre o sacerdócio. Eu era o membro mais jovem do Quórum dos Doze. Eu estava lá. Eu estava lá com o derramamento do Espírito naquela sala, tão forte que nenhum de nós podia falar depois. Nós apenas saimos tranquilamente para voltar ao escritório. Ninguém poderia dizer nada por causa da poderosa efusão a experiência espiritual celestial.
Mas em apenas algumas horas o anúncio foi feito à imprensa, fui designado para assistir a uma conferência de estaca em Detroit, Michigan. Quando meu avião pousou em Chicago, eu notei uma edição do Chicago Tribune na banca de jornal. A manchete do jornal, "Os mórmons oferecem o Sacerdócio aos afrodescendentes". E o subtítulo dizia: "Presidente Kimball afirma ter recebido uma revelação." Eu comprei um exemplar do jornal. Olhei para uma palavra no subtítulo: “afirma”. Ela se destacou a mim como se estivesse em neon vermelho. Enquanto eu caminhava pelo corredor para pegar minha conexão, pensei: Aqui eu estou agora em Chicago andando por esse aeroporto movimentado, mas eu era uma testemunha desta revelação. Eu estava lá. Eu testemunhei aquilo. Eu senti que a influência celestial. Eu fui parte dela. Mal sabia o editor desse jornal da verdade da revelação quando ele escreveu, "afirma ter recebido uma revelação." Mal sabia ele, ou o impressor, ou o homem que colocou a tinta na imprensa, ou a pessoa que entregou o jornal – mal sabiam qualquer um deles do que foi realmente uma revelação de Deus. Mal sabiam eles o que eu sabia, porque eu era uma testemunha disso.[30]

Notas


  1. Richard L. Bushman, Joseph Smith: Rough Stone Rolling (New York: Knopf, 2005), 257.
  2. John A. Widtsoe, "Modern Revelation and Modern Questions," The Deseret News, Church Section (28 January 1939): 6.
  3. Brigham Young, (September 1, 1859) Journal of Discourses 7:243-244.
  4. Wilford Woodruff, (December 12, 1869) Journal of Discourses 13:158.
  5. Heber C. Kimball, (19 February 1865) Journal of Discourses 11:82.
  6. Orson Pratt, (May 11, 1878) Journal of Discourses 25:146-147.
  7. Orson Pratt, (18 Sept 1859) Journal of Discourses 7:309-310, 312.
  8. Orson F. Whitney, "The Divinity of Jesus Christ," Improvement Era (Jan. 1926), 224–25. off-site; see also Liahona (Dec 2003): 16; punctuation, capitalization, and spelling standardized.
  9. LeRoi C. Snow, "An Experience of My Father’s," Improvement Era (September 1933). off-site
  10. Cited in G. Homer Durham, N. Eldon Tanner: His Life and Service (Salt Lake: Deseret Book, 1982), 254-256.
  11. Henry B. Eyring, "Witnesses for God," Ensign (November 1996), 30. off-site
  12. James E. Faust, Conference Report (April 1995): 83. See also James E. Faust, "Heirs of the Kingdom of God," Ensign (May 1995), 61. off-site
  13. Harold B. Lee, Conference Report (April 1968): 131–132.
  14. Harold B. Lee, Teachings of Harold B. Lee (Salt Lake City, Utah: Bookcraft, 1996), 13. GospeLink (requires subscrip.)
  15. Harold B. Lee, Teachings of Harold B. Lee (Salt Lake City, Utah: Bookcraft, 1996), 456–457. GospeLink (requires subscrip.)
  16. Harold B. Lee, Teachings of Harold B. Lee (Salt Lake City, Utah: Bookcraft, 1996), 636. GospeLink (requires subscrip.)
  17. Spencer W. Kimball, "Strengthening the Family—the Basic Unit of the Church," Ensign (May 1978), 45. off-site
  18. Dallin H. Oaks, "Miracles," CES Fireside in Calgary, Canada, 7 May 2000, 3.
  19. Dallin H. Oaks, "Teaching and Learning by the Spirit," Ensign (March 1997), 14. off-site
  20. Boyd K. Packer, "A Tribute to the Rank and File of the Church," Ensign (May 1980), 65. off-site
  21. Boyd K. Packer, The Things of the Soul (Salt Lake City: Bookcraft, 1997), 56 [Address given at Young Adults Church Education System broadcast 7 November 1993.]
  22. Boyd K. Packer, cited in Lucile C. Tate, Boyd K. Packer: A Watchman on the Tower (Salt Lake City, Utah: Bookcraft, 1995), 60.
  23. Boyd K. Packer, "Revelation in a Changing World," Ensign (November 1989), 16. off-site
  24. Boyd K. Packer, Teach Ye Diligently (Salt Lake City: Deseret Book, 1975), 86–87.
  25. Boyd K. Packer, "'The Spirit Beareth Record," Ensign (June 1971), 87–88. off-site
  26. “Jesus is the Christ,” Church News (25 December 2010): 3.
  27. Predefinição:General Conference
  28. Marion G. Romney, cited in F. Burton Howard, Marion G. Romney: His Life and Faith (Salt Lake City, Utah: Bookcraft, 1988), 222.
  29. Leonard J. Arrington, Adventures of a Church Historian (Urbana and Chicago: University of Illinois Press, 1998), 176-177
  30. David B. Haight, "This Work Is True," Ensign (May 1996), 22. off-site