Pergunta: Por que o Livro de Mórmon coincide tão rigorosamente com a Versão do Rei James?

Revisão em 21h13min de 27 de junho de 2017 por FairMormonBot (Discussão | contribs) (Robô: Substituição de texto automática (-{{fonte\n\|título=(.*)\n\|categoria=(.*)\n}} +{{FairMormon}}))
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Índice

Pergunta: Por que o Livro de Mórmon coincide tão rigorosamente com a Versão do Rei James?

Algumas pessoas têm adotado a cínica posição de que Joseph Smith simplesmente copiou o texto da Versão Rei James da Bíblia

Algumas passagens da Bíblia (partes de Isaías, por exemplo) foram incluídas no texto do Livro de Mórmon. Algumas pessoas têm adotado a cínica posição de que Joseph Smith simplesmente copiou o texto da Versão Rei James da Bíblia em partes relevantes, como por exemplo, Isaías. Até mesmo alguns membros da Igreja tem presumido que a tão próxima correspondência entre os textos indica que Joseph simplesmente abriu uma Bíblia e copiou os capítulos quando ele chegou ao conteúdo nas placas de ouro que ele identificou como sendo da Bíblia.

Os propósitos do Livro de Mórmon e as traduções TJS não eram idênticos. Os Santos dos Últimos Dias não acreditam em uma interpretação de uma escritura ou conceito doutrinário fixo, inviolado, ou "perfeito". O Livro de Mórmon do mesmo modo reflete diferenças entre a tradição textual nefita e os manuscritos bíblicos comumente conhecidos. A TJS é uma harmonização, expansão, comentários e esclarecimentos de importante pontos doutrinários. Nenhum deles pretende ser "a palavra final" sobre um determinado conceito ou passagem-revelação contínua, adaptadas às circunstâncias em que qualquer membro da Igreja se encontre.

Joseph não acreditava que havia "uma e somente uma" verdadeira tradução de uma determinada passagem ou texto. O Livro de Mórmon é “o mais correto” no sentido de os que o leem e seguem seus preceitos se aproximaram mais de Deus do que lendo outro livro.” Esta não é uma afirmação sobre a perfeição textual ou infalibilidade (que o próprio livro insiste e ainda estará presente - introdução, Mórmon 9:31). Na verdade, Brigham Young ensinou que o texto do Livro de Mórmon teria sido diferente se fosse refeita mais tarde:

Se o Senhor Todo-Poderoso enviasse um anjo para reescrever a Bíblia, ela seria em muitos lugares bem diferente do que é agora. E eu até arrisco dizer que se o Livro de Mórmon fosse reescrito, em muitos casos, seria consideravelmente diferente da presente tradução. É de acordo com a disposição que as pessoas tem de receber as coisas de Deus que os céus enviam suas bênçãos.[1]

Notas

  1. Brigham Young, Journal of Discourses 9:311.